My Thoughts On 'I Love Dick'

My Thoughts On 'I Love Dick'


Já falei um pouco sobre este livro no post com os meus livros favoritos do ano passado (podem ler AQUI), mas gostei tanto dele que tinha de lhe dedicar um post. Hoje venho-vos falar do 'I Love Dick' da Chris Kraus. Como disse nesse mesmo post, é um livro bastante diferente daqueles que já li, pois a história é contada através de cartas e transcrições de chamadas e também é uma mistura entre romance, biografia, diário, uma crítica à arte e uma ode ao feminismo. Resumindo, Chris (que é também a autora do livro, também daí ser uma biografia) apaixona-se por Dick (de onde vem o nome do livro) e, juntamente com o seu marido, escreve-lhe cartas de amor sem nunca as enviar. Este triângulo amoroso passa por várias fases e é bastante interessante acompanhá-las durante toda a leitura. Mas, para além de todo este enredo que por si só já o torna um livro bastante rico e que nos faz não querer parar de ler, também toca em temas como o feminismo e a arte e dá ao leitor uma forma bastante interessante de pensar o género no mundo da arte. Achei realmente um livro muito interessante, caso contrário não estaria na minha lista de livros favoritos de 2019. Descobri também que foi feita uma série baseada neste livro e estou muito curiosa para a ver.

I already talked a bit about this book on the post about my favourite books of 2019 (you can read it HERE), but I enjoyed it so much that I had to write a blog post about it. So today I'm talking about 'I Love Dick' by Chris Kraus. As I already told you on that same post, it's a book very different from everything I've read, since the story is told through letters and phone calls transcriptions, and it's also a mix between a novel, a memoir, a diary, an art critic, and a homage to feminism. Summing up, Chris (the author of the book, that's why it's also a memoir) falls in love with Dick (who names the book) and, together with her husband, writes love letters to him but doesn't send them. This love triangle goes through different phases, and all of them are very interesting. But, besides all this story that already makes it very hard to stop reading, it also touches on subjects like feminist and art and provides a really interesting way of thinking about gender in the arts. I really think it's a very interesting book, otherwise, I would never include it on my list of favourite books of 2019. I also found out that there is a tv series based on this book so I really want to watch that.

"I'm torn between maintaining you as an entity to write and talking with you as a person."