Já tinha ouvido imensas pessoas falarem bem sobre este livro, por isso decidi dar-lhe uma chance e ainda bem o que fiz, pois adorei o livro. O 'Where the Crawdads Sing' da Delia Owens é daqueles livros difíceis de parar de ler. A história é sobre Kya, uma rapariga jovem que vive isolada num pantanal, depois de ter sido abandonada por toda a sua família. Ela é selvagem a aprende a ser autossuficiente, mas quando o popular Chase Andrews é encontrado sem vida, ela imediatamente é considerada suspeita. Tal como o último livro de que vos falei, também este anda para frente e para trás no tempo. De um lado temos a sua vida em jovem e a sua história de sobrevivência antes do assassinato de Chase, e por outro lado temos o depois do assassinato e todo o seu julgamento. Mas o livro é bem mais que isto. É um livro que tem tudo o que eu gosto de ler. Tem uma boa personagem principal pela qual começamos a nutrir carinho ao longo da história, tem mistério e uma investigação criminal, tem romance e tem toda uma atmosfera fantástica. Pode-se até dizer que a Natureza é a personagem secundária nesta história. E a escrita, tenho mesmo de falar da escrita. Está tão bem escrito e parece mesmo que estamos lá. É tudo muito delicado, tudo muito bonito, quase como poesia. E o fim. Eu adorei a história, mas o fim foi mesmo a cereja no topo de bolo. Não estava nada à espera. Já há muito que não era tão surpreendida com um final de livro. Por isso, como podem imaginar, super que recomendo a leitura deste livro. Cinco estrelas!


I've heard so many good things about this book that I decided to give a go, and I'm so glad I did it because I absolutely loved it. 'Where the Crawdads Sing' by Delia Owens is a real page-turner. The story is about Kya, a young girl who lives alone in the Marsh after being abandoned by her whole family. She's wild and learns how to be self-sufficient, but when the popular Chase Andrews is found dead, she becomes a suspect. So just like the last book I shared with you, it's a story that goes back and forth in time. In one hand there's her story of survival when she was young before the dead of Chase, and on the other, it's her trial after his death. But there's so much more to this book than that. It has a lot of things I enjoy reading about. It has a good main character who we start to empathise with, murder mystery and criminal investigation, romance, and a very good atmosphere. Nature really is the secondary character in this book, and I loved that. I also have to mention the writing. It's so beautifully written, and it really feels like you're there. Everything feels very delicate, almost like poetry, and the ending. Oh my, the ending. I really loved the story, but the ending blew my mind. I really wasn't expecting that, and it has been ages since a book surprised me like this. So yeah, I highly recommend it. Five stars! 




 


Sou só eu ou o Instagram anda super pesado nestes últimos tempos? Eu sei que estamos a passar por momentos difíceis e aquilo pelo que estamos a passar está longe de ser algo normal, mas temos mesmo de descarregar todas as nossas frustrações no Instagram? Eu que uso o Instagram como um escape, como forma de ver coisas bonitas, de me inspirar, de ver uma realidade diferente da minha, agora vejo apenas negatividade, influencers polícias umas das outras e pensamentos negativos. Abro o Instagram e parece que cada vez está mais tóxico, especialmente aqui em Portugal. Sigo várias contas por todo o mundo e por todo o mundo existem confinamentos, mas parece que aqui em Portugal, assim que começou este segundo confinamento, todas as influencers viraram ativistas de redes sociais. Já para não falar das 500 mil stories que eu tenho de ver repetidas, pois assim que sai uma nova medida/uma nova notícia, vai tudo fazer repost do mesmo. Podem parar, se eu quiser estar informada, não é através de uma influencer que sigo para ver os seus outfits do dia que o vou fazer. Eu sei que aquilo que estou a criticar é o mesmo que estou a fazer neste post, mas este é o sítio onde partilho os meus pensamentos e tinha mesmo de dizer isto. Esta sociedade em que estamos sempre a criticar, a "cancelar" pessoas só porque cometeram um erro (quem nunca cometeu um erro que atire a primeira pedra) e a julgar pessoas que não conhecemos de lado nenhum tem de acabar. Vai tudo ficar bem, mas se estivermos sempre a trazer mais negatividade para este mundo, cada vez vai demorar mais a que isso aconteça. É isto, obrigada por ouvirem a minha Ted Talk.


Is it just me or Instagram has been very heavy lately? I know we're going through some crazy times and this situation is far from being normal, but do we really have to unload all our frustrations on Instagram? I use Instagram as an escape, to see beautiful things, and to be inspired, but now I only see negativity, influencers policing other influencers and just very negative thoughts. I open my Instagram and it feels like it's getting very toxic, especially here in Portugal. I follow accounts from all over the world, but since the second lockdown started here in Portugal, seems like all influencers became social media activists. And do I really have to see the same Instagram story 500 million times? Every time the government sets new measures, everyone has to repost it. You can stop it, if I want to be informed, I will not be doing it through an Instagram account I follow to see everyday outfits. I know that what I'm criticising is also what I'm doing with this post, but this blog is where I share my thoughts and I really needed to say this. This society where we are always judging, cancelling people just because they did some mistakes (we are all humans, we all make mistakes) and criticising people we don't really know will not take us anywhere. Everything will be alright, but if we're bringing more negativity into this world, it will take even longer. And that's it, thank you for coming to my Ted Talk.


blazer MASSIMO DUTTI | jumper c/o SÉZANE | jeans WEEKDAY | sneakers VANS | bag VINTAGE FENDI


 


No ano passado, um dos meus objetivos foi trocar todos os meus produtos para marcas cruelty-free e claro que este ano será a mesma coisa. Aliás, acredito que um dia todas as marcas que usamos e que estarão à venda serão apenas cruelty-free. Já partilhei algumas marcas que tenho vindo a descobrir com vocês, mas hoje vou focar-me apenas em marcas de haircare, até porque é o que tenho mais dificuldade em encontrar. Se souber de mais, deixem nos comentários, gosto sempre de descobrir e experimentar novos produtos.


My goal last year was to switch all my products to cruelty-free brands, and, obviously, this year I will do the same. Actually, I believe that one day all the brands that we use will be cruelty-free. I already shared some of my favourite brands with you, but today I'm focusing on haircare brands since it's what I find more difficult to find. If you know more brands, leave them on the comments below, I would love to try them out.



Mid/night

Buy: HERE


Quando descobri a Mid/night fiquei logo com imensa curiosidade em experimentar os produtos. Primeiro, toda a estética da marca é lindíssima. E segundo, além de ser cruelty-free, os produtos também são todos vegan. Têm uma linha completa de haircare, mas para já ainda só experimentei o champô. É mais líquido que o normal, mas com a água faz uma espuma com um cheirinho fantástico. É recomendado para todo o tipo de cabelos e sinto que o meu cabelo tem ficado com bem mais volume que o normal.


When I found out about Mid/night, I was immediately curious about their products. First, the whole aesthetic of the brand is to die for. Second, besides being cruelty-free, all their products are also vegan. They have a full hair care line, but I only tried the shampoo. It's a bit more liquid than usual, but it gets very foamy in the water, and the smell is amazing. It's recommended to all hair types, and I feel like my hair it's getting more volume than usual which is always a plus.



Gisou 

Buy: HERE


A Gisou já não é novidade nenhuma aqui no blog, mas claro que tinha a de mencionar, pois para produtos de styling do cabelo não há melhor. Este óleo para o cabelo é dos melhores que já usei. O cabelo fica com um brilho lindo e sinto mesmo que faz a diferença. Aliás, como podem ver, a minha embalagem já está mesmo no fim e já tenho uma nova a caminho. É mesmo muito bom.


I already talked about Gisou here on the blog a million times before, but I really had to mention the brand again because they are the best when it comes to hair styling products. This hair oil is the best I have ever used. The hair gets very shiny, and I feel like it really makes a huge difference in my hair. Actually, as you can see, my bottle is already empty, and I already have a new one on the way. It's really that good.

 


Serve o presente post para vos informar que estou a adorar este novo calendário do blog, ou melhor dizendo, a falta dele. Como vos disse NESTE post, agora, durante o confinamento, não vou publicar todos os dias e comecei já esta semana. Pensei que talvez não fosse gostar ou até me desleixar deixando de escrever e tirar tempo do meu dia para falar com vocês, mas foi completamente o oposto. Eu adoro isto e também é verdade que trabalho muito melhor sob pressão, mas também estou a adorar a tranquilidade que me trouxe. Escrevo quando me apetece e quando, efetivamente, tenho algo para dizer e escrever. Estou a escrever este post não porque me sinto na obrigação de o fazer, mas porque genuinamente me apeteceu fazê-lo. Estive o dia a passear (o último dia antes do lockdown 2.0), tomei um banho e realmente apeteceu-me deitar-me na cama com um chá quente ao lado e escrever estas palavras. E assim este blog tornou-se num hobby novamente. E que bem que sabe.


This post is here to tell you that I'm loving the blog's new schedule, I mean, the lack of it. As I've told you on THIS blog post, during the lockdown, I'm not going to post every single day, and I already started this week. I thought I might not enjoy it, or that I would get a bit lost and not take time from my day to write in here, but it was quite the opposite. I truly love this and I work really well under pressure, but I'm also loving this tranquillity. I write when I want to and when I actually have something to say and write about. I'm writing this blog post not because I feel like I have to, but because I really felt like doing it. I was strolling around all day (the last day I'm able to before lockdown 2.0), I took a shower, and I really felt like laying in bed with a warm tea next to me and write this words. And so this blog became a hobby again. And damn, it feels really good.


coat c/o NEW LOOK | trousers VINTAGE | sneakers VANS | bag c/o PRIMARK | scarf PARFOIS


 


Como já vos contei no meu Instagram, o meu objetivo este ano é ler 50 livros. Vamos ver como corre, mas o primeiro já está. Foi o 'The Girls' da Emma Cline (podem encontrar a versão traduzida AQUI). Ouvi falar sobre este livro no podcast 'Prose Before Hoes' (que recomendo muito a ouvirem se gostarem de literatura) e achei que o tema era algo que eu iria gostar bastante. E acertei. 'The Girls' segue a vida de Evie, uma rapariga de 14 anos desesperada por ser notada. Parece levar uma vida bastante normal, até se encontrar num parque com um grupo de raparigas e a obsessão começa. Todas elas novas, livres e soltas, mas a verdade é que pertencem a um culto. Se isto vos leva a crer que o livro é bastante inspirado no culto e assassinatos do Charles Manson, estão completamente certos. E adorei. Acho que todos nós somos um pouco morbidamente fascinados por esse culto e foi bastante interessante ler como uma rapariga aparentemente normal se junta a um culto destes. É também um livro com uma imagem fantástica. Não sei se estou a fazer qualquer sentido, mas é daqueles livros que podia facilmente ser adaptado a um filme. Califórnia, fim dos anos 60, saias longas às flores, cabelos longos, temperaturas quentes...percebem o que quero dizer? Algo que também adorei sobre o livro é como conta duas histórias: uma de quando a Evie tinha 14 anos e viveu toda esta história e uma outra neste momento com a Evie adulta. Este "para a frente e para trás" é algo que nem sempre gosto nos livros, mas este está tão bem feito que só tornou o livro ainda melhor. Por isso, sim, recomendo totalmente. Foi um bom começo para o meu desafio.

As I already told you over on my Instagram, my goal this year is to read 50 books. It's a lot, but let's see how it goes. The first one is done, and it was 'The Girls' by Emma Cline. I heard about it on the 'Prose Before Hoes' podcast (which I highly recommend if you like literature), and I thought I would really enjoy since the plot is something I'm very interested about. And I was totally right. 'The Girls' follows the life of Evie, a fourteen-year-old girl who's desperate to be noticed. She seems to be living a pretty normal life until she sees a group of girls in a park and the obsession begins. They are young, wild and free, but the truth is that they're part of a cult. So yeah, it's deeply inspired by the Manson cult and murders, but I loved it. I think we are all a bit morbidly fascinated by them, so it was very interesting to read how someone apparently normal joins a cult like that one. It's also a book with pretty cool imagery. I don't know if you understand what I mean, but it's one of those books that could easily be adapted into a movie. California, the late sixties, long skirts, long hair...you know? Something that I also really enjoyed about the book was how it tells two stories: one from when she was fourteen living all that drama, and another one about what is happening to her right now as an adult. This back and forth is something I usually don't enjoy about books, but this one is so well made that really made the book even better. So yeah, I highly recommend it. It was a good start.

 


Bem, parece que vamos enfrentar um novo confinamento. Como sempre, vou tentar manter-me positiva, mas tinha de escrever este post, pois vão haver algumas alterações por aqui. Ao contrário do primeiro confinamento, desta vez, não vou manter o calendário normal do blog. Não vou publicar todos os dias como é costume. Este blog vive muito dos meus outfits, é isso que eu adoro partilhar com vocês, e na impossibilidade de o fazer da forma que gosto, prefiro mesmo não o fazer. Mas, não quer isto dizer que vou deixar de publicar por completo. Como disse NESTE post, criar conteúdo foi uma das coisas que me ajudou a passar os dias de confinamento e, por isso, vou continuar a fazê-lo. Apenas não quero a pressão de ter de criar conteúdo novo todos os dias. Ainda esta semana vai sair um post sobre o primeiro livro que li este ano e tenho muitas mais novidades para vos contar. Por isso, vou continuar aqui, apenas vos queria dizer que não da mesma forma. Até amanhã ou até um dia destes.


Well, here in Portugal, after a couple of months of a bit of freedom, we're going through another lockdown. As always, I will try to keep the positive vibes up, but I had to write this post because they are going to be some changes here on the blog. Against the other lockdown, this time, the calendar of the blog will be a bit different. I'm not going to post every single day as usual. This blog lives of my outfits, that's what I truly love sharing with you, and since I'm not able to do it as I like it, I rather not do it at all. But this doesn't mean I'm going to stop posting at all. As I said on THIS blog post, creating content was something that really helped to go through lockdown, so I will keep doing it. I just don't want the pressure to create content every single day. This week I will write about the first book I read this year, and I have some news to tell you. So I will still be here, just in a different way. See you tomorrow or any other day. 



Eu sei que falo imenso sobre o Instagram aqui no blog, mas sendo uma rede social onde partilho todos os dias, tal como aqui, é normal que assim o seja. O problema é que quando fazemos algo continuamente, por vezes, acabamos por cair numa rotina. Sempre usei estas duas plataformas como forma de expressar a minha criatividade e é algo que quero explorar ainda mais este ano.


I know I talk a lot about Instagram over here but it's a social media app where I share every single day, just like here on the blog, and it's normal if I do. The problem is that when we do something so often, sometimes, we end up trapped on a routine. I always used both platforms as a way to explore my creativity, and that's something I want to do even more this year.




Sinto que o Instagram, cada vez mais, é mais do mesmo. As contas são muito parecidas e também o conteúdo que se cria é muito semelhante. Tenho vindo a seguir algumas contas um pouco diferentes e que me têm inspirado imenso (posso depois partilhar com vocês também). Estas fotografias criei-as para o Instagram e gostei tanto delas que decidi partilhar aqui também. Resumindo, este ano quero explorar novas ideias no Instagram. Vou continuar, obviamente, a partilhar os meus outfits pois é algo que adoro fazer, mais quero ir além disso.


I feel like Instagram is getting very boring. All the accounts are very alike, and all the content is very similar. I've been finding some accounts a bit different, and they have been very inspiring to me (I can share them with you if you want it). I created these photos for Instagram, and I liked them so much that I decided to share them here as well. So, summing up, this year I want to explore new ideas on Instagram. I will keep posting my outfits because it's something I still love to do, but I want to go beyond that.




Algo que adoro fazer é colagens e quero fazê-lo ainda mais, algo como o que partilhei AQUI no Natal. Também quero explorar mais as digitalizações, acho uma área muito interessante e uma forma de partilhar diferentes coisas com vocês, tal como também fiz no ano-novo partilhando umas páginas de um dos meus cadernos (podem ver AQUI). E quero também explorar ainda mais o meu amor por fotografia. Criar fotografias diferentes (tal como estas que partilho hoje), aprender ainda mais sobre fotografia analógica e também quero partilhar fotografias mais simples tiradas com o telemóvel. Transpor aquilo que faço nas Stories para o feed, pois a simplicidade dessas fotos também é algo que me cativa muito. Por último, algo que também tenho gostado muito no Instagram é o Reels. Tenho adorado criar pequenos vídeos, simples, sem grande edição e, este ano, podem esperar ainda mais desses vídeos. Dito isto, para verem todo este conteúdo, só me têm de seguir no Instagram, caso ainda não o façam (@fashionmask). E digam-me se há alguma coisa que gostavam que eu fizesse também.


I really love doing collages and I want to do it more, something similar to what I shared HERE over Christmas. I also want to explore scanning, it's an area I find very interesting and a new way to share other stuff with you, just like I did on NYE sharing with you some pages of a notebook of mine (you can see it HERE). I also want to explore my love for photography. I want to create photos a bit different (like the ones I'm sharing today), learn even more about analogue photography, and I also want to share simpler photos taken with my phone. Take what I usually do on Stories to my feed, I really like the simplicity of those photos. Last but not least, I've been enjoying Reels very much. I love creating small videos, very simple with not much edition, and this year you can expect even more of those videos. So if you want to see all this content, you just have to follow me on Instagram, if you're not doing it yet. And let me know if is there anything you would like to see me doing well.

 


O ano passado foi bem diferente daquilo que esperávamos e ainda temos alguns meses difíceis pela frente. Não temos confinamento, tirando ao fim-de-semana, o que em parte já me deixa mais calma, pois durante a semana tenho mais liberdade, mas não quer dizer que por vezes não seja difícil. O post de hoje são pequenas coisas que tornam esses momentos mais fáceis de lidar. Pequenas coisas que tornaram a minha vida mais fácil na altura do confinamento e que, por vezes, ainda o fazem. Partilhem também quais foram as vossas, adorava saber.


Last year was pretty different from what we were expecting, and we still have a few hard months ahead. Here in my country, we're not in lockdown, just during the weekend, which already makes me calmer since I have more freedom during the week. But that doesn't mean it doesn't get hard sometimes. Today's blog post is about a few things that made those moments more bearable. A few things that made my life easier during the lockdown, and that still do. Share with me which were yours, I would love to know.



Going For Walks

Sair de casa, mesmo que seja só por alguns minutos torna logo o meu dia melhor. Adoro caminhar pela cidade, talvez até passar por um café e beber algo. Se quiser algo mais calmo, vou até um parque aqui perto. Tenho a sorte de ter tudo isto muito perto de casa e, sem dúvida, que é algo que também facilita muito a vida.

Getting out of the house even if it's just for a few minutes, it really makes my day better. I love walking around town and maybe even grab a coffee to go at a coffee shop, or if I want a calmer place I just go to a nearby park. I'm very lucky because I have all these things in my area, and it makes life way easier.


Reading

Eu sei que já me estou a tornar repetitiva, mas ler faz mesmo parte da minha rotina e é algo que me mantém sã. Por vezes, precisamos mesmo de nos desligar da realidade e claro que o podemos fazer no nosso telemóvel ou computador, mas também acho que é importante não estar sempre em frente de um ecrã. Se quiserem algumas dicas de livros, podem sempre visitar a categoria 'Book Club' aqui no blog.

I can't stress this enough, but reading really is a huge part of my routine and something that keeps me sane. Sometimes we need to switch off from reality, and I know it's really easy to do it on your phone or computer, but I think it's very important to not always be in front of a screen. If you're looking for some book recommendations, you can always check the 'Book Club' category here on the blog.


Creating Content

Assim que entrei no espírito de criar e a minha inspiração voltou, criar conteúdo foi uma grande parte da minha rotina e algo que me fez manter motivada durantes os meses de confinamento. E a melhor parte é que é um processo. Temos de procurar inspiração, criar as fotos e editá-las. Leva o seu tempo e tempo era o que mais tínhamos na altura.

Once I got into the creating groove and got my inspiration back, creating content was a huge part of my routine and something that made me feel motivated throughout the lockdown months. And the good thing about this is that it's a process. You have to look for inspiration, you have to take the photos and then edit them. It takes time, and time was all we had.

coat and cardigan VINTAGE | jeans WEEKDAY | boots I SAW IT FIRST | bag VINTAGE FENDI




O último livro que li no ano passado foi o Alta Fidelidade do Nick Hornby e adorei, acho que até entra na minha lista de livros favoritos de sempre. Vi a série que saiu no ano passado baseado no livro e desde então que tinha bastante curiosidade para o ler (descobri também que existe um filme). Na verdade, o livro é bastante diferente, até pelo simples facto de o narrador ser um homem e na série a personagem principal ser uma mulher (interpretada brilhantemente pela minha girl crush Zöe Kravitz), mas a história em si tem bastantes semelhanças. Alta Fidelidade conta a história de Rob, um rapaz de 35 anos, dono de uma loja de discos em Londres. O livro foca-se bastante nos seus relacionamentos, mais especificamente em como todos falharam e através deles conseguimos conhecer o Rob um pouco melhor. É, acima de tudo, um romance sobre rejeição, masculinidade e, claro, com muita música à mistura. Só quando acabei o livro é que descobri que o escritor é britânico, mas pensando nisso faz todo o sentido. O seu sentido de humor (bastante britânico na minha opinião) é bastante característico. Eu adoro esse tipo de sentido de humor, mas, sem dúvida, que não é para todos. Recomendo imenso a leitura deste livro, como já disse, dos meus livros favoritos de sempre. 


The last book I read last year was High Fidelity by Nick Hornby and I loved it, I think it's even on my list of favourite books ever. I watched the TV show that came out last year based on this book, and since then that I was very curious about the book (also found out that there's also a movie about it). Actually, the book is very different, the first thing being that the narrator is a man and on the TV show the main character is a woman (interpreted beautifully by my girl crush Zöe Kravitz), but the story has some similarities. High Fidelity tells the story of Rob, a 35-year-old man who owns a record store in London. The book focuses a lot on his relationships, more specifically on their failure and through them, we can also get to know Rob on a different level. It´s a novel about rejection, masculinity and with a lot of music in the mix. Only when I finished the book, I found out that the writer is British, but thinking about it, makes all sense. His sense of humour (very British in my opinion) is very characteristic. I love this kind of sense of humour, but, obviously, is not for everyone. I highly recommend reading this book, as I've said before, one of my favourite books ever.



"What came first - the music or the misery?"

 


Estive a ver os outfits que partilhei por aqui no último ano e achei engraçado fazer um top com os meus favoritos. É impressionante como o meu estilo mudou tanto, parece que há um pré-quarentena e um pós-quarentena e aqueles que gosto mais são, como seria de esperar, os pós-quarentena. São mais simples, mais minimalistas e, no fundo, mais eu. Escolhi então o meu top 10 e podem ver em baixo. Não vou escolher um favorito, pois, honestamente, adoro todos, mas adorava saber se vocês têm um favorito.


I was taking a look at the outfits I shared here in the last year, and I thought it would be fun to share my favourites. It's mindblowing how my style changed so much. It looks like there's a pre-quarantine, and a post-quarantine and the ones I like the most are the one's post. They're simpler, more minimalistic and, deep down, a bit more me. I chose my top 10 that you can see down below. I'm not going to choose a favourite because, honestly, I really love them all, but I would love to know if you have a favourite.

1.

 


Foi há dois anos que na altura da passagem do ano decidi entrar no novo ano com o objetivo de ler um livro por cada mês. Na altura consegui, superei até, e desde então que se tornou um hábito e talvez até um vício. Comecei o ano sem ter qualquer livro para ler (acabei um de que vos irei falar esta semana e com a confusão toda do Natal não tinha comprado nenhum para ler) e passei mal. Ler já faz tão parte da minha rotina que não sabia o que fazer com esse tempo extra que normalmente dedico à leitura. Faz-me mesmo bem e, sem saber muito bem explicar porquê, ler tornou-se muito importante para mim. Adoro aprender, conhecer palavras novas e durante umas horas perder-me numa outra realidade que não a minha. Em 2020 li 41 livros e este ano decidi criar a meta de ler 50. É algo que vou escrevendo ou nas notas do telemóvel ou no meu diário, mas este ano decidi criar uma conta no Goodreads. Ainda não sei muito bem como funciona, mas podem-me encontrar AQUI. Irei partilhar por lá as minhas leituras, mas claro que também o continuarei a fazer por aqui também. Digam-me, também têm conta no Goodreads? Digam-me nos comentários.


Two years ago by this time of the year I decided to start the new year with the goal of reading one book each month. At the time, I did it, I think I even read more, and since then that it became a habit, sometimes even an addiction. I started the year with no book to read (I finished one that I'm going to talk about this week and between all the Christmas mess I didn't buy a new one) and it was bad. Reading is part of my routine so I just didn't know what to do with myself. It's good to me and, without being able to explain why, reading became very important to me. I love to learn, to know new words and to get lost in another reality for a few hours. In 2020 I read 41 books, and this year I decided to set the goal to read 50. It's something that I keep up with writing on my cellphone notes or in my journal, but this year I decided to create a Goodreads account. I'm still a rookie, but you can find me HERE. I'll share my reads over there, but I will keep updating here as well, obviously. Tell me, are you also on Goodreads? Let me know on the comments below.


coat c/o NAKD | jumper and jeans ZARA | boots PULL&BEAR | bag c/o PRIMARK




Bem, parece que 2020 acabou oficialmente. Tirando tudo o que se está a passar no mundo e, bem, uma pandemia mundial, 2020 foi um bom ano para mim. Viajei bastante nos primeiros meses do ano, o que foi fantástico, e, no fim do ano, a minha vida mudou bastante. Vamos então ver o que se passou nestes últimos doze meses.


Well, well, looks like 2020 is officially over. Despite all the craziness in the world and well, a worldwide pandemic, 2020 was actually quite a good year for me. I travelled a lot in the first months of the year which was amazing, and by the end of the year, my life had changed a lot. So let's take a look over the past twelve months.


January


Contact

© Fashion Mask.
Design by The Basic Page