Na semana passada, disse-vos que estava a pensar escrever este post e aqui está ele: uma review dos rolos 35mm que já usei. Tenho experimentado alguns e já consegui formar uma opinião sobre cada um deles. Neste post podem descobrir qual o meu favorito, o que menos gostei, bem como ver fotografias tiradas com cada um deles. E já agora, também têm algum favorito? E há algum que tenho mesmo de experimentar? Contem-me tudo nos comentários.

Last week, I told you I was thinking about writing this post, and here it is my review on my favourite 35mm films. I've been using a few different ones, and I already have an opinion on each one of them. On this post, you can find which film is my favourite, the ones I don't like, and photos shot with each one of them. And by the way, do you have a favourite? Is there something else I should try? Tell me everything on the comments.

1. Kodak ColorPlus 200

Hoje em dia, este é o rolo mais barato da Kodak, mas é também o meu favorito. É bem fácil de encontrar e as cores ficam bem naturais e realistas. É o que mais uso e acho que tem uma excelente relação qualidade/preço.

This film is the cheapest offered by Kodak nowadays, but it's also my favourite. It's very easy to find, and the colours are very natural and realistic. It's the one that I used the most, and I think it has a really good quality/price relation.



Como prometido, aqui está a segunda parte da sessão fotográfica analógica (podem ver a primeira parte AQUI). Estas foram também fotografadas em Serralves, mas desta vez na Casa do Cinema Manoel de Oliveira. É engraçado como a moda e a arquitetura têm tanto em comum. Uma obtém inspiração da outra e vice-versa. Na verdade, os meus designers de moda favoritos são os que exageram proporções, que prestam bastante atenção à construção e forma, e que trabalham o tecido quase como que blocos de construção. Li algo há uns tempos que achei bastante interessante, "tanto a moda como a arquitetura dão uma espécie de abrigo às pessoas em diferentes dimensões sociais". E, também na altura de escolher os outfits para esta sessão, inspirei-me bastante na arquitetura. Acho que o padrão às riscas funcionou muito bem com as linhas deste edifício. Como a Coco Chanel disse: "Moda é arquitetura. É tudo uma questão de proporções." Espero que gostem das fotos,

As promised, here is the second part of the analogue photoshoot (you can see the first part HERE). These photos, once again, were shot at the Serralves Foundation, but this time at Manoel de Oliveira's house. It's funny how fashion and architecture always go hand in hand. One gets inspiration from another, and vice versa. Some of my favourite designers are actually the ones who exaggerate proportions, who pay a lot of attention to construction and shape, and that use his materials almost as building blocks. I read something a while ago about this that I found very interesting," both fashion and architecture provide shelter for people in different social dimensions". And, while choosing my outfits for these photos, I was also very inspired by architecture. I really think the striped pattern worked really well with the straight lines of the building. As Coco Chanel once said: "Fashion is architecture, it is a matter of proportions." I hope you like the photos.


Hoje é dia de partilhar com vocês mais um livro e, como já vos tinha dito, andei a ler 'Os Maias' de Eça de Queiroz. Na minha altura de escola, este não era um dos livros obrigatórios, por isso nunca me interessei muito. É um livro enorme, por isso demorei mais tempo que o normal a acabá-lo, mas, finalmente, posso dizer que li mais um clássico da literatura portuguesa. 'Os Maias' passa-se em Lisboa e apresenta-nos três gerações da família Maia. Pedro da Maia suicida-se após a sua mulher o deixar por outro homem e o seu filho, Carlos da Maia, é criado pelo seu avô, Afonso da Maia. É um romance, sem dúvida, mas toca também em temas como política, filosofia, literatura, mostrando-nos como era a sociedade portuguesa no século XIX e sempre com bastante sentido de humor e ironia. Percebo perfeitamente quando muitas pessoas dizem que o autor exagera no detalhe das suas descrições. Realmente, senti que existia muito informação que não acrescentava nada ao enredo principal, mas ao longo da sua leitura vamo-nos habituando ao seu estilo de escrita e a perceber a magia nela. Uma coisa que adorei no livro é como Lisboa está tão presente. Dá mesmo para seguir as personagens pelsa diferentes ruas da cidade e alguns dos sítios que visitam, ainda existem nos dias de hoje. Foi um livro que gostei muito e deixou-me com vontade de ler mais obras do Eça de Queiroz.

So today is time to share another book, and, as I've told you before, I was reading 'The Maias' by Eça de Queiroz. It used to be a mandatory book for reading in high school, but, at the time, it wasn't, so I was never interested in it. It's a huge book, so it took me longer than usual to finish it, but I can finally say that I've read another Portuguese literature classic. 'The Maias' is set in Lisbon, and it tells the story of three generations of the Maias family. Pedro da Maia kills himself after his wife leaves him for another man, and young Carlos da Maia, his son is raised by his grandfather, Afonso da Maia. It's a novel, but it also touches important topics like politics, philosophy, literature, and showcases the Portuguese society back in the 19th century, always with a very good sense of humour and some irony. I can understand why some people say that the author gives way too much detail in his descriptions. I did felt like sometimes there was some information that wasn't really needed and it didn't add much to the main story, but while you're reading the book you get used to his style of writing and start to understand the magic in it. Something else that I really like about the book was how Lisbon is so alive in it. I mean, you can really stroll around in the city streets with these characters, and some of the places they visit, still exist today. It was a book that I really liked, and now I just want to read more books by Eça de Queiroz.


"Nada desejar e nada recear...Não se abandonar a uma esperança - nem a um desapontamento. Tudo aceitar o quem e o que foge, com a tranquilidade com que se acolhem as naturais mudanças  de dias agrestes e de dias suaves."

Tenho fotografado, diariamente, em analógico, mas já tinha saudades de criar algo diferente. Como já vos tinha antes, a ideia é todos os meses fazer uma sessão fotográfica em analógico com um conceito diferente daquilo que normalmente partilho por aqui e esta é a deste mês. O conceito para a sessão fotográfica foi bastante fácil de encontrar. Temos sempre fotografado na natureza, quer seja na praia, como no campo. Eu adoro esse tipo de fotografias, mas queríamos criar algo diferente, então o tema, desta vez, foi arquitetura. Tínhamos vários sítios em mente, mas o escolhido foi a Fundação de Serralves. Além do espaço ter um jardim enorme, tem diferentes edifícios com linhas arquitetónicas lindíssimas. Estas primeiras fotografias foram fotografadas na Casa Cor-de-Rosa. É um edifício mesmo muito bonito, construído em 1931 e é um dos poucos exemplares da arquitetura Art Déco no nosso país. Eu gostei imenso do resultado. E vocês, o que acham? Espero que gostem e fiquem atentos porque tenho uma segunda parte para vos mostrar.

I have been shooting on film daily, but I missed creating something different. As I've told you before, my idea is to, every month, do an analogue photoshoot with a different concept from what I usually share, and the photoshoot of this month is here. The concept for this photoshoot was very easy to find. We have been shooting around nature, either on the beach or in the countryside. I love those kinds of photos, but we wanted something different, so this time the theme was architecture. We had some places in mind, but the chosen one was the Serralves Foundation. Besides having a huge garden, it also has some different buildings with gorgeous architecture lines. These first photos were taken at the Pink House. It's a very beautiful building, built in 1931, and it's one of the few examples of Art Déco architecture here in Portugal. I really love the result of these photos. But what do you think? I hope you like them and stay tuned for the second part.




A inspiração vem de qualquer lado, já disse isto várias vezes e volto-o a dizer e, por vezes, inconscientemente, somos influenciados pelas coisas mais mundanas. O meu estilo, neste momento, está bastante minimalista e, se tivesse de escolher uma década, diria que está muito anos 90. Shoulder bags, calções bermuda, crop tops, bonés, é tudo o que tenho usado nestes últimos dias. O estilo minimalista é algo que sempre gostei, mas estou a ver novamente as primeiras temporadas de Friends (não me perguntem quantas vezes já vi, nem eu mesma sei) e acho que, inconscientemente, é algo que me tem inspirado muito. Já tinha dito que adoro os outfits do Chandler nas primeiras temporadas, mas tanto o estilo da Monica como o da Rachel também gosto muito. Tenho visto também, de vez em quando, alguns episódios de Sex and the City (outra série dos anos 90) e se há algo pela qual a Carrie é conhecida é pelo seu estilo. O meu estilo não é nada parecido com o dela, mas toda a vibe dos anos 90 da série inspira-me muito. E se ainda assim estão a precisar de mais alguma inspiração para outfits dos anos 90, procurem imagens da princesa Diana. A Catarina Mira partilhou um post com fotos dos seus melhores outfits, podem ver AQUI, mesmo muito inspirador.

Inspiration comes from everywhere, and, sometimes, unconsciously, we're influenced by the most mundane things. My style is very minimal right now, and if I had to choose a decade, I would say it's very 90s. Shoulder bags, Bermuda shorts, crop tops, baseball caps, that's all I've been wearing these days. The minimal style is something that I always loved, but I'm watching the first seasons of Friends all over again (don't ask me how many times I've watched it, I lost count), and I think that maybe, unconsciously, that has inspired me a lot. As I already said before, I really love Chandler's outfits in the first seasons, but both Monica and Rachel also have a great style that I find very inspiring. Once in a while, I also watch some episodes of Sex and the City, and if there's something Carrie is known for is her style. I mean, my style is nothing like Carrie's, but the whole 90s vibe of the show inspires me very much. And if you're still in need of some 90s outfit inspiration, just search for some Princess Diana's outfits. Catarina Mira put up a whole post with some of her best outfits, you can find it HERE, very very inspiring.

blazer ZARA | top MONKI | shorts VINTAGE LEVIS | sandals MANGO | bag VINTAGE

Não imaginam o quão ansiosa estava para ver estas fotografias. Representam o meu Verão na perfeição: dias no campo e dias na praia, é, sem dúvida, assim que quero dividir o meu tempo livre. Usei pela primeira vez um rolo que nunca tinha usado, mas estou a pensar fazer um post com uma review dos rolos que já usei, gostavam de ver isso? Eu acho que pode ser bastante interessante, mas digam-me o que acham. E espero que gostem das fotos. Eu adorei!

You can't imagine how excited I was to see these photos. They represent my Summer perfectly: days in the countryside, and days by the beach, that's how I want to spend my free time. I used for the first time a film I've never used before, but I'm thinking about writing a blog post with a review on each film I have ever used, would you like to see that? I think it can be very interesting, but let me know what you think. And I hope you like the photos. I loved them!


Há uns dias, estive a ver uns posts antigos e achei piada a um post que escrevi em Fevereiro sobre como este ano seria o meu ano dedicado a viagens. Tal como disse nesse post, tinha quase uma viagem todos os meses e estava mesmo feliz por isso. Mal eu sabia o que estava pela frente, mas se há algo que já aprendi nesta vida é que de um dia para o outro a nossa vida pode mudar completamente. Mas não é por isso que deixo de olhar para o lado positivo das coisas e é isto que me faz acreditar que devemos viver o presente, aproveitá-lo ao máximo e olhar sempre para o lado positivo. Se antes nos queixávamos que mal conseguíamos andar na rua devido à quantidade de turistas, este Verão temos o nosso país lindo só para nós. Se antes era uma viagem que nos deixava de sorriso de orelha em orelha, agora são as pequenas coisas que nos alegram os dias. Se antes estarmos com os nossos amigos era algo que tomávamos por garantido, agora aprendemos a realmente valorizar esses momentos. E deixo-vos com uma mensagem que ouvi ontem da minha amiga Daniela Gandra que me deixou a pensar e que fez todo o sentido para mim: "Se o medo nos puxou para baixo a nível mundial, o que é que o amor é capaz de criar? Vamos vibrar amor."

A few days ago, I was checking some old posts and I found funny a post I wrote in February about how this year would be my year of travelling. Like I said in that post, I had almost a trip every month, and I was very happy about it. I couldn't guess what was ahead of me, but if there's something I've learned in this life is that life can change in a heartbeat. But that doesn't make me stop looking at the bright side. This makes me believe that we should live the present, enjoy it and always focus on the bright side. Before we used to complain we couldn't move on the streets because of all the tourists, now we have this beautiful country just for ourselves. Before it was a trip that made us smile from ear to ear, now the small things in life make us really happy. Before we took being with our friends for granted, now we truly enjoy the moments with have with them. And I leave you with a message I heard yesterday from my dear friend Daniel Gandra that made me think, and it makes all sense to me: "If fear pulled us down worldwide, what can love create? Let's vibrate love."

tank top MO | skirt WEEKDAY | sneakers VANS | bag VINTAGE

Hoje trago-vos um post diferente daquilo que tenho feito. Já partilho imensas coisas com vocês, desde livros a playlists mensais, mas faltava-me um post dedicado a outras coisas onde possa partilhar mais frequentemente. Foi por isso mesmo que decidi escrever este post. Irei partilhar desde roupas que estão na minha wishlist, a episódios de podcasts que eu gostei, um pouco de tudo. Não prometo que faça este post semanalmente, mas irei fazê-lo sempre que tenha algo que acho interessante partilhar com vocês. Espero que gostem da ideia.

Today I bring you a different kind of post. I already share a lot with you, from books that I'm reading to a monthly playlist, but I felt like it was missing a place where I could share another kind of things in a regular basis. That's why I decided to write this post. I will share loads of things with you, from clothes that I have on my wishlist, to podcast's episodes that I liked. I can't promise that I will post this weekly, but I can promise that I will post it every time I have something interesting to share with you. I hope you like the idea.

Por norma, nos outfit posts não falo muito sobre roupa, mas, por vezes, sabe bem voltar aos bons velhos tempos em que simplesmente falávamos daquilo que estávamos a usar, sem grandes textos e sem pensar muito sobre a mensagem que estávamos a passar. Como já devem ter percebido, ando numa onda de cores neutras e outfits bem simples. Este tipo de calções tem sido dos meus favoritos e claro que já cortei mais um par de calças para ter mais opções de escolha. E não me arrependo nada! O que eram umas calças que raramente usava, agora são os calções que uso mais vezes no meu dia-a-dia. E este tipo de calções juntamente com um top básico tem sido o meu outfit de Verão. Neste caso juntei uma camisa para criar outra layer, mas sempre bem simples, fresco e leve. Eu gostei imenso do resultado e se quiserem ver mais outfits com este tipo de calções têm ESTE ou ESTE outfit por exemplo. São mesmo muito versáteis. Mas digam-me, o que acham deste outfit?

Usually, I don't talk much about clothes when I post outfits, but, sometimes, feels good to go back to the old days when we talked about what we were wearing, very simple, straight-forward, and without thinking too much about the message we were passing. As you may have noticed, I'm very into neutral colours and simple outfits right now. This kind of shorts have been my favourites, and, obviously, I already cut off another pair of jeans, so I can have more options. And I don't regret it at all! What used to be a pair of jeans I barely wore, now are the shorts I wear the most in my daily life. I always pair these shorts with very basic tops, and that has been my summer outfit. On this outfit, I add a shirt to create another layer, but always keeping it very simple, fresh and light. I really like the result, and if you want to see more outfits with this kind of shorts, you can see THIS ONE or THIS OUTFIT for example. They're really versatile. But tell me, what do you think about this outfit?

shirt ASOS | bodysuit and sandals ZARA | shorts VINTAGE LEVIS | bag VINTAGE

Que eu sou fã de chapéus não é novidade nenhuma. Tive a minha fase de baker boy hats (e ainda os adoro, mas gosto mais de ver com cabelo curto), esta estação não largo os bucket hats e a minha mais recente paixão são os bonés. Qualquer um deste tipos de chapéus completam sempre um look e, naqueles outfits mais simples, são o acessório que mais gosto de acrescentar. Por isso, hoje partilho com vocês alguns dos meus favoritos, bem como links dos chapéus que eu tenho na minha coleção. Espero que gostem. E, já agora, também são fãs de chapéus?

You all know that I really like hats. I had a phase I wore baker boy hats all the time (and I still love them, but I prefer seeing them with shorter hair), this season I'm all about bucket hats, and my latest obsession is baseball caps. Any of this kind of hats can really change up a look, and on those basic outfits, that's the accessory I always go for. So, today I'm sharing with you my favourites, and also some of the hats that I already have in my wardrobe. I hope you like it. And, by the way, are you also a fan of hats?

Não sei se este livro se pode considerar um clássico, mas é escrito por um dos maiores escritores dos nossos tempos: Milan Kundera. E o livro em questão é 'A Insustentável Leveza do Ser'. Para ser sincera, este é mais um daqueles livros que não sei muito bem o que dizer. Kundera é um escritor nada convencional. Ele usa a narrativa e as personagens para explicar a sua filosofia de vida e é nisto que esta obra se foca. Em 'A Insustentável Leveza do Ser', ele conta a história de uma jovem mulher que se apaixona por um homem dividido entre o seu amor por ela e a sua vida como mulherengo incorrigível. Mas, no fundo, todo o livro é sobre a fragilidade do amor, do destino e da liberdade humana. Não esperem identificar-se com as personagens, pois é provável que as odeiem a todas. Todos os seus atos são bastante difíceis de compreender. O escritor tenta torná-los um pouco poéticas, mas é, sem dúvida, algo que não gostei neste livro. O escritor, por vezes, perde-se nos seus pensamentos filosóficos, o que me fez também perder-me durante a sua leitura e isto pode ser bastante enervante para nós como leitores. É daqueles livros que se odeia ou se adora, eu ainda não sei com qual dos grupos me identifico mais, mas, talvez por isso, acabei este livro a saber que o vou ler novamente. Já algum de vocês leu este livro? O que acharam?

I don't know if you can consider this book a classic, but it's written by one of the greatest writers of our times: Milan Kundera. And the book I read is 'The Unbearable Lightness of Being'. To be honest, this is one of those books that I don't really know what to say about. Kundera is an unconventional writer. He uses plots and characters as tools to explain his philosophy about life and that's what's this story is all about. In this novel, he tells the story of a young woman in love with a man torn between his love for her and his incorrigible womanizing. But, deep down, it's mainly about the fragility of destiny, love and our freedom. If you think you will relate to the characters, you are completely wrong. Actually, you will probably hate them all. All their actions are so hard to understand. He tries to make them sound poetic, but that's something I didn't like about this book. Also, the author gets lost in his philosophical ramblings a lot throughout the book which makes you get lost while you're reading, and that can be really annoying. It's one of those books you either love or hate. I still don't know which group I belong to and, maybe, that's why I finished this book thinking I have to read it again. Have any of you read this book? What did you think about it?




"There is no perfection only life."

O mês está quase a terminar, por isso, hoje, decidi partilhar com vocês a minha playlist de Junho. Esta playlist não tem assim muita coisa nova, continuo na onda de ouvir músicas de já alguns anos atrás. Continuo a gostar muito do novo álbum do Harry Styles, acho-o muito Verão. E, não tendo muito em comum, também tenho ouvido bastante o álbum 'Wasting Light' dos Foo Fighters (o meu álbum favorito deles btw). Andei também a ouvir algumas das coisas que vocês me recomendaram, por isso, se tiverem mais sugestões, deixem nos comentários, adorava saber!

The month is coming to an end, so today I decided to share my June playlist. On this playlist there aren't many new songs, I'm still mainly listening to old stuff. I'm still very into the new Harry Styles' album, sounds very summery to me. And, even though there's nothing much in common, I've been listening to Foo Fighters' album Wasting List (my favourite by the band btw). I also listened to some songs that you recommended, so if you have more suggestions, leave them on the comments below, I would love to know!

Contact

© Fashion Mask.
Design by The Basic Page